Pular para o conteúdo

Valentina Shevchenko aceita luta contra Jéssica Bate-Estaca

    Foto: Evelyn Rodrigues

    Campeã peso-mosca revela não estar disposta a ficar muito tempo afastada do octógono, por isso quer enfrentar a brasileira

    Pouco depois de defender seu cinturão no duelo contra a brasileira Jennifer Maia, no último UFC 255, Valentina Shevchenko deixou claro que quer subir o quanto antes no octógono. Em entrevista exclusiva ao canal Combate em Las Vegas, a vencedora do peso-mosca da organização recebeu com muita felicidade a oportunidade de duelar a também brasileira Jéssica Bate-Estaca em sua próxima luta. Mesmo acreditando ser mais justo que a paranaense e a americana Lauren Murphy realizassem uma eliminatória, Valentina alega não estar disposta a aguardar tanto tempo para voltar a competir.

    “Eu aceito qualquer adversária que colocarem na minha frente. Mas acho que o mais justo seria Jéssica Bate-Estaca e Lauren Murphy se enfrentarem, mas não quero esperar tanto tempo, porque elas lutariam daqui a alguns meses, e eu enfrentaria a vencedora após mais alguns meses. Não pretendo esperar tanto, então por que não enfrentar Jéssica? Por mim, tudo bem”, falou.

    Comentando sobre a luta do último sábado (21), Valentina falou que já aguardava por um duelo duro contra Jennifer Maia, e destacou que os estudos sobre sua adversária revelaram que se tratava de uma atleta densa e que complicaria o seu trabalho. A quirguistanesa se disse grata por ter treinado para uma luta difícil.

    “Ela não me surpreendeu, porque eu esperava que ela fosse uma lutadora dura. Não esperava que fosse uma luta fácil. Eu não costumo acreditar apenas em números e deixar as informações relevantes de lado. Eu estudo as minhas adversárias e vejo as suas lutas. Sabia que ela seria dura, e analisando o tipo de corpo de Jennifer, eu sabia que ela não era pesada, mas densa. Algumas pessoas são mais suaves, e outras mais densas. Jennifer é muito difícil de quebrar. Eu tenho uma boa estrutura corporal e uma boa mente, e Jennifer também é assim. Felizmente me preparei para uma luta difícil. Minha estratégia era sair com a vitória. Eu treino para tudo, e deixei meu corpo escolher que técnica usar, e parece que meu corpo escolheu a luta agarrada”, concluiu o raciocínio.

    Veja também: Lenda do futebol mundial, Maradona morre aos 60 anos na Argentina

    Valentina sempre foi muito próxima a sua irmã e também lutadora Antonina Shevchenko, e falou que viu o seu triunfo sobre Ariane Lipski no hotel onde se hospedava, e que programa uma extensa celebração após as duas vitórias com uma viagem de carro pelo sul dos Estados Unidos.

    “Eu assisti à luta da minha irmã do hotel, pela TV. Eu a encontrei no lobby do hotel, quando ela estava voltando e eu vindo para a luta. Nós nos cumprimentamos, mas sem muita emoção, porque eu ainda iria lutar, e estava bem concentrada. Agora vamos celebrar triplamente. Primeiro pela nossa vitória, segundo pela vitória da nossa mãe, e terceiro por ela ter tirado o brevê de piloto particular. Vai ser uma grande festa. Mas primeiro vamos jantar bem e comer muitas tortas russas (risos). Semana que vem vamos fazer uma longa viagem de carro para o sul do país para explorar tudo o que pudermos”, finalizou.

    UFC 255

    21 de novembro de 2020, em Las Vegas (EUA)

    CARD PRINCIPAL

    Deiveson Figueiredo venceu Alex Perez por finalização a 1m57s do R1

    Valentina Shevchenko venceu Jennifer Maia por decisão unanime (triplo 49-46)

    Tim Means venceu Mike Perry por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)

    Katlyn Chookagian venceu Cynthia Calvillo por decisão unânime (triplo 30-27)

    Paul Craig venceu Mauricio Shogun por nocaute técnico aos 3m36s do R2

    CARD PRELIMINAR

    Brandon Moreno venceu Brandon Royval por nocaute técnico aos 4m59s do R1

    Joaquin Buckley venceu Jordan Wright por nocaute aos 18s do R2

    Antonina Shevchenko venceu Ariane Lipski por nocaute técnico aos 4m33s do R2

    Nicolas Dalby venceu Daniel Rodriguez por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28)

    Alan Jouban venceu Jared Gooden por decisão unânime (triplo 30-27)

    Kyle Daukaus venceu Dustin Stoltzfus por decisão unânime (30-27, 30-27 e 30-26)

    Sasha Palatnikov venceu Louis Cosce por nocaute técnico aos 2m47s do R3

    Fonte: Globo Esporte