Pular para o conteúdo

Top 10 de jogadores de basquete brasileiros

jogadores de basquete brasileiros

O Brasil é recheado de talentos em diversas modalidades. Por isso vale a pena conferir um pouco de cada esporte. Aqui, você vai encontrar 10 jogadores de basquete brasileiros que você precisa conhecer bem a trajetória. Alguns com passagem por NBA e WNBA, outros por brilharem na seleção. Tem história para todos os gostos.

1 – Oscar

Um dos grandes jogadores de basquete brasileiros é Oscar Schmidt. Apelidado de “Mão Santa” exatamente pelos seus arremessos calibrados, ele fez história defendendo a camisa do Brasil. 

O momento mais icônico dele foi quando liderou a equipe nos Jogos Pan-Americanos de 1987, quando derrotou a seleção dos Estados Unidos, em Indianápolis.

Só que Oscar não parou nisso. Ele terminou a carreira como o maior cestinha de todos os tempos, com 49.737 pontos. O jogador está no Hall da Fama do Basquete e fez história também atuando por clubes brasileiros. 

Oscar nunca esteve na NBA, embora tenha sido escolhido pelo Draft da Liga. No entanto, naquela fase, quem optasse por atuar na liga norte-americana não poderia defender a seleção brasileira. Situação que afastou o jogador da oportunidade.

2 – Hortência

Se no masculino começamos por Oscar, no feminino essa é uma escolha difícil. Isso porque uma mesma geração contou com muitas atletas brilhantes. 

Só que vamos começar por Hortência. Para muitos especialistas ela foi a liderança técnica de uma geração que conquistou o Campeonato Mundial de Basquete em 1994. Um feito histórico para a modalidade. 

Além deste troféu, esteve presente no título dos Jogos Pan-Americanos de Havana, em 1991, quando superou as cubanas e conquistou a prata nos Jogos Olímpicos de Atlanta, em 1996.

Hortência tem a marca de ser a maior cestinha da seleção brasileira, com 3.160 pontos, ao longo de 127 partidas oficiais. Foi eleita também a melhor jogadora da história das Copas do Mundo através de uma votação na Federação Internacional.

É ainda uma dirigente importante no fortalecimento do basquete feminino atual.

3 – Magic Paula

Assim como Hortência, Paula fez parte das conquistas do Pan-Americano, do Mundial e da prata nos Jogos Olímpicos. 

Atuando como armadora, ela fazia jogadas tão fantásticas que recebeu o apelido de “Magic Paula”. Terminou a carreira como a segunda maior cestinha da seleção, com 2.537 pontos. Além disso, é a jogadora que mais vestiu a camisa do país, com 150 jogos.

4 – Janeth

Outro nome desta geração que merece destaque é Janeth. Ela esteve no título mundial, na prata nos Jogos Olímpicos 1996 e ainda ganhou bronze em 2000 – competição que não teve Hortência e Paula.

Pela seleção, apesar de ser uma jogadora importante, acabou ofuscada pelas duas líderes. Ainda assim, é a terceira maior pontuadora do país, com 2.247 pontos. 

Só que Janeth se destaca pelo que fez na WNBA também. Ela foi a primeira brasileira a atuar na liga norte-americana e teve um desempenho fantástico. Jogando pelo Houston Comets ela venceu o campeonato em quatro oportunidades.

5 – Ubiratan

Apesar de termos começado falando de Oscar, isso se deve especialmente a capacidade de mídia dos atletas mais recentes. Isso porque um dos grandes nomes da história do basquete brasileiro foi Ubiratan.

Ele foi o primeiro jogador brasileiro deste esporte a ser contratado profissionalmente por um time do exterior. Coleciona impressionantes quatro medalhas em Mundiais, com direito ao título de 1963. Ainda ganhou o bronze nos Jogos Olímpicos de 1964. Sem dúvidas, um dos grandes jogadores de basquete brasileiros

6 – Alessandra

A história da seleção feminina ainda conta com mais um talento. Trata-se da pivô Alessandra, que acompanhou Janeth nas medalhas de Atlanta 1996 e Sydney 2000, além do título do Campeonato Mundial em 1994. Ela ainda foi remanescente da disputa de 2004, quando bateu na trave e ficou com o quarto lugar em Atenas.

Só que além dos feitos pela seleção, ela teve passagens importantes pela WNBA, que atuou entre 1998 e 2001, defendendo três camisas. 

7 – Anderson Varejão

A lista tem também jogadores de basquete brasileiros que fizeram sucesso na NBA. E um desses nomes é Anderson Varejão.

O talento e o carisma do atleta fizeram até com que o Cleveland Cavaliers fizesse um dia especial para o jogador, no qual distribuía perucas para os torcedores.

Só que além dessa homenagem, Varejão também teve uma carreira de respeito. Ele fez parte do time que conquistou o título da NBA na temporada 2016/2017 e ainda foi finalista em mais três oportunidades.

Para completar, o jogador conta com um título da Euroliga no currículo, quando defendia o Barcelona em 2003.

8 – Leandrinho

Leandrinho Barbosa também é outro destaque da NBA. ele é o único brasileiro a receber um prêmio pela temporada. Na edição 2006/2007 ele foi escolhido o “Sexto homem do ano”, que é entregue para o melhor reserva.

Na lista dos melhores jogadores de basquete brasileiros, foi um dos destaques do Phoenix Suns por muito tempo, mas rodou ainda por mais quatro franquias. Uma delas foi o Golden State Warriors, quando foi campeão da liga em 2014/2015. 

9 – Tiago Splitter

Mais um dos jogadores de basquete brasileiros de destaque da NBA foi Tiago Splitter. Só que o impacto do atleta no basquete começou muito antes. 

Isso porque Splitter começou a se mostrar como um jogador de talento atuando na Espanha. Em 2010 ele foi eleito o MVP da Liga Espanhola, MVP das finais e ainda conquistou o título nacional. 

Antes disso, havia sido escolhido para o time ideal da Euroliga 2007/2008 e para o de reservas em 2008/2009 e 2009/2010.

Quando foi para a NBA foi para novamente fazer história. Isso porque em 2014 ele atuava pelo San Antonio Spurs e se tornou o primeiro brasileiro a conquistar um título da liga norte-americana de basquete.

10 – Nenê

Apesar de não ter conquistado o título da NBA, Nenê aparece na lista por ter a carreira mais consolidada. Ele chegou na liga em 2002 e ficou 17 anos sem sair deste nível. Passou 10 anos no Denver Nuggets, quatro no Washington Wizards e três no Houston Rockets.

Sua imagem no país acabou um pouco arranhada devido às dezenas de pedidos de dispensa da seleção brasileira, que causaram um pouco o distanciamento dos torcedores em comparação aos outros atletas citados.