Pular para o conteúdo

Quais os 6 tipos de falta no basquete

Entenda os 6 tipos de falta no basquete

Faltas são muito comuns no basquete e por isso, a NBA mudou as regras rigorosamente

No basquete é comum surgirem faltas durante a partida, assim como em qualquer outro jogo. No entanto, nos últimos anos, muitos jogadores começaram a usar as faltas como benefício para conseguir parte de seus pontos na linha do lance livre.

Diante desse cenário, a NBA realizou alterações rigorosas nos tipos de faltas no basquete. Para você entender melhor para marcar as faltas, separamos as principais características de cada uma delas.

Veja quais os tipos de falta no basquete

1 – Faltas flagrantes

As faltas flagrantes no basquete são consideradas de âmbito pessoal e que podem causar ferimentos ao adversário. Por esse motivo, essas faltas possuem penalidades mais pesadas, como multas, expulsão imediata e até suspensão.

Existem dois tipos de faltas flagrantes no basquete. A flagrante 1, que consiste nas faltas envolvendo contato desnecessário, e a flagrante 2 que são qualquer falta envolvendo contato desnecessário e excessivo.

2 – Faltas pessoais

As faltas pessoais consistem em infrações que violam as regras do jogo, ou seja, quando os jogadores empurram, bloqueiam ou golpeiam outro jogador durante um arremesso.

Por exemplo, faltas causadas durante um arremesso, resultam em tentativas de lance livre para o jogador que sofreu a falta. Outra característica desse tipo de falta é que se um jogador sofrer falta ao tentar um arremesso de dois pontos, ele terá direito a dois lances livres. Já em caso de falta durante uma tentativa de três pontos, serão liberados três lances livres.

Também vale lembrar que se caso o jogador acertar o arremesso que estava tentando no momento da falta, o ponto é válido e o ainda assim receberá um lance livre.

3 – Faltas ofensivas

Outro tipo de falta pessoal são as faltas ofensivas, que acontecem quando os jogadores de ataque cometem uma infração quando a sua equipe está em posse da bola. Nesses casos, o mais comum é quando um jogador no ataque faz contato com um jogador defensivo que plantou seus pés no chão.

Outro caso bastante comum no basquete é quando um jogador ofensivo, que não está com a bola, se move enquanto faz uma screen para seu companheiro de equipe, com o objetivo de evitar que o defensor se mova pela quadra.

4 –  Faltas em disputa pela posse de bola

Se durante o jogo, nenhuma das equipes estabeleceu a posse de bola, a bola é considerada “solta”. Desse modo, as faltas nesse caso consistem em contato físico ilegal, que acontecem quando um jogador tenta conseguir a bola de basquete descontrolada.

5 –  Faltas de time

A NBA atribui a cada equipe um total de cinco faltas por quarto. Desse modo, quando uma equipe ultrapassar essa cota, ela vai “para o bônus”, ou seja, a cada falta realizada, os oficiais premiam a equipe adversária com lances livres.

6 – Faltas técnicas

Por fim, temos as faltas técnicas, que são uma penalidade por violar as regras administrativas do basquete, como por exemplo, briga e abuso verbal.

Esse tipo de falta resulta em lance livre e troca de posse de bola, e quando um jogador ou técnico recebe duas faltas técnicas no mesmo jogo, o árbitro os expulsará Além disso, jogadores com muitas faltas técnicas podem ser suspensos da temporada regular e até mesmo dos jogos dos playoffs.

Início do Basquete e Regras Originais

Confira os 5 principais fundamentos do basquetebol

A implementação das faltas no basquete tem suas raízes na necessidade de manter o jogo justo e seguro, desde a criação do esporte em 1891 por James Naismith. Aqui está um resumo da evolução das faltas no basquete:

James Naismith e as Primeiras Regras (1891): James Naismith, um professor de educação física canadense, inventou o basquete como uma atividade para manter seus alunos ativos durante o inverno. Ele elaborou 13 regras originais para o jogo, algumas das quais abordavam condutas inadequadas e o contato físico. Por exemplo, uma das regras originais proibia empurrar, segurar e usar os punhos.

Primeiras Faltas: As primeiras faltas eram simples e diretas, penalizando qualquer tipo de contato físico que não fosse considerado parte do jogo normal. Isso incluía empurrar, segurar, bater ou qualquer comportamento que não fosse esportivo.

Desenvolvimento das Regras e Tipos de Faltas

Evolução nos Primeiros Anos: À medida que o esporte se popularizou, foi necessário desenvolver regras mais detalhadas e específicas para lidar com diferentes tipos de infrações. As faltas pessoais começaram a ser classificadas, e penalidades específicas foram estabelecidas.

Introdução das Faltas Técnicas e Antidesportivas: Com o tempo, além das faltas pessoais, surgiram outros tipos de faltas para lidar com comportamentos antidesportivos e faltas mais graves. As faltas técnicas foram introduzidas para penalizar comportamentos que não envolvem contato físico direto, mas que são prejudiciais ao espírito do jogo.

Regras Internacionais e Liga Profissional: As regras do basquete foram continuamente refinadas pela Federação Internacional de Basquete (FIBA) e pela National Basketball Association (NBA). Essas organizações estabeleceram normas claras sobre o que constitui uma falta e as penalidades associadas.

Implementação de Regras Modernas

Regras Modernas e Revisões Constantes: As regras do basquete moderno são revisadas regularmente para melhorar o jogo e garantir a segurança dos jogadores. Isso inclui revisões das definições de faltas técnicas, antidesportivas e desqualificantes, bem como a introdução de revisões de vídeo para ajudar os árbitros a tomar decisões mais precisas.

Impacto na Dinâmica do Jogo

As faltas são fundamentais para a dinâmica do jogo, pois:

Mantêm a Segurança: As regras de faltas ajudam a proteger os jogadores de lesões causadas por contato físico excessivo.
Garantem a Justiça: Penalizando condutas inadequadas, as faltas garantem que o jogo seja jogado de maneira justa e respeitosa.
Regulam o Jogo: A presença de faltas impede que o jogo se torne descontrolado e caótico, mantendo uma estrutura ordenada.

Em resumo, a história da implementação das faltas no basquete reflete a evolução do esporte e a necessidade contínua de manter um ambiente de jogo seguro, justo e competitivo.

Leia também:

Confira os 5 principais fundamentos do basquetebol