Home Futebol Stefany Krebs: a primeira atleta surda do futebol feminino

Stefany Krebs: a primeira atleta surda do futebol feminino

Jogadora do Palmeiras conta sobre seu percurso no futebol

Meia-atacante do Palmeiras, Stefany Krebs de 22 anos está no clube desde janeiro deste ano (2020). A gaúcha foi duas vezes campeã mundial pela seleção de futsal para deficientes auditivos e aos 17 anos, foi considerada a melhor atleta do campeonato, disputado na Tailância. Tefy jogou pela primeira vez pelo Alviverde no final de setembro em uma disputa muito esperada por ela.

Em entrevista ao UOL Esporte, a jogadora relembrou algumas dificuldades para se ajustar ao futebol de campo e ao próprio clube. Relatou que a adaptação veio não só na comunicação mas também para se igualar ao nível e experiência das jogadoras da sua equipe.

“Fui aprendendo, entendendo o que a comissão técnica e as atletas fazem nos treinos, sempre com muita paciência e aprendizado. Depois da pandemia, voltei mais forte e focada. Por isso, na estreia, estava confiante”, diz Tefy.

A jogadora iniciou o futsal aos seis anos de idade por motivação do irmão, que a levava para uma quadra perto de onde moravam. De acordo com atleta, era o parente quem mostrava todas as regras do esporte. Falou que descobriu a paixão pela bola ainda quando criança. Ela diz ao irmão que jogará futebol por ele, pois foi quem ajudou a descobrir esse dom e acreditou que ela seria apta a evoluir.

Veja também: Com muitos desfalques, PSG perde de virada para o RB Leipzig

Os pais estimularam tanto quanto o irmão desde que Tefy começou a jogar. “Tinha dias em que meus pais precisavam ir até o ginásio do lado de casa para me tirar de lá por ser tarde da noite. Mas sempre me apoiaram, desde o início. Um dia, quando criança, comecei a chorar porque achava que, por ser surda, não conseguiria ser atleta. Minha mãe veio até mim e disse: ‘Quando você quer uma coisa, é só não desistir que você consegue, sim’. E isso me fez querer tentar até o último momento”, declarou a atleta.

A mãe desempenha um papel de destaque na carreira da filha. A atleta confessou que já pensou em desistir da carreira devido a saudade que sentia da família residente no Rio Grande do Sul. Comentou com a mãe que iria voltar pois estava se sentindo muito solitária. A mãe por sua vez viajou dez horas para encontrar com a jogadora por apenas um dia. “Conversamos muito e ela não me deixou ir para casa, disse que consegui chegar onde queria que era meu sonho e que não deveria desistir. Aquilo me marcou muito”, contou.

A insistência sucedeu em dois títulos como melhor do mundo. Tefy falou que a cada conquista ela intensificava mais os treinos. Acreditava que não deveria ficar satisfeita com os prêmios, pois poderia representar ainda mais a comunidade surda. Comentou também que ser reconhecida é a realização de um sonho e para isso precisava trabalhar duro.

A falta de acessibilidade e de respeito a condição da atleta fizeram parte do seu dia a dia. Tefy sentiu também falta de inclusão social e foi também nesses momentos que a jogadora pensou em seguir outra carreira.

Apesar de considerar o futebol de campo o maior desafio da sua vida, a atleta segue no clube do Palmeiras e apaixonada pelo esporte. Tefy continua se adaptando com a modalidade mas segue feliz com o que faz.

- Advertisment -

Popular

No Fluminense, Martinelli vai para 1ª Libertadores com Europa de olho

Titular absoluto com apenas 19 anos, volante recebe sondagens de clubes da Inglaterra antes do torneio de maior vitrine Em cinco meses, tudo pode mudar....

Anderson Silva reconhece favoritismo de Julio Cesar Chávez Jr. em confronto do dia 19 de junho

Spider exalta oponente, mas vê chance de conseguir nocaute Depois de deixar o Ultimate, Anderson Silva assinou contrato para enfrentar Julio Cesar Chávez Jr. em...

Miami bate Lakers e vence a quinta em seis jogos

Time da Califórnia não é páreo para Butler e Oladipo, que deixa a quadra com lesão no joelho Jogando em casa, o Miami Heat completou...

F1 2021: salário de Hamilton encolhe R$ 57 mi, mas ainda é o maior

Receita do atual campeão cai de R$ 225 milhões, em 2020, para R$ 168 milhões no novo contrato; Vettel também tem redução drástica com...