Sheilla deixa o Brasil e vai disputar liga americana de vôlei

Facebook/Sheilla Castro
Facebook/Sheilla Castro

Bicampeã Olímpica anuncia saída do Minas Tênis Clube para jogar na nova liga dos Estados Unidos

Sheilla Castro, bicampeã olímpica com a seleção de vôlei feminina, anunciou a sua saída do Minas Tênis Clube para atuar na nova liga norte-americana, aguardada para fevereiro de 2021 e com término previsto para abril.

Vencedora de dois títulos estaduais e uma superliga pelo time mineiro entre 2001 e 2004 e campeã do Campeonato Sul Americano de Clubes em fevereiro deste ano, será apresentada publicamente ao Athletes Unlimited Volleyball League nesta quarta-feira (14).

Foto: Divulgação/FIVB
Foto: Divulgação/FIVB

Em agosto deste ano, a jogadora chegou a postar em suas redes sociais que não renovaria com o clube e que a pandemia fez com que ela e seu marido, Breno Blassioli, “repensassem muitas coisas”. Em nota, agradeceu o time pelo apoio e afirma que o Minas é o seu time do coração. A repercussão da notícia nas redes sociais trouxe reações positivas dos fãs.

“Oi gente! Muitas pessoas perguntando se fico ou não no Minas, há algumas semanas já. Eu não vou renovar. Agradeço ao Minas todo apoio, agradeço por ter acreditado e investido na minha volta! E fico feliz de termos conquistado um de nossos objetivos na última temporada que foi o sul-americano. Infelizmente a Superliga teve que ser interrompida e não conseguimos brigar pelo segundo objetivo. Mas essa pandemia fez eu e meu marido repensarmos muitas coisas, e por isso a decisão de não renovar! Obrigada de coração a todos do @minastenisclube, @mtcvolei, ao pessoal da família @itambe, a torcida maravilhosa e aos meus fãs pelo apoio sempre! E não sei se vocês sabem mas sou sócia do minas desde bem pequenininha, então é o clube do meu coração”, afirma a jogadora.

Mãe de gêmeos em 2018, aos 37 anos, a jogadora oposta será a mais velha até o momento a ser convocada pela liga norte-americana. Caso seja convocada pela seleção brasileira para as Olímpiadas de Tóquio de 2021, Sheilla chegará aos 38 anos no auge.

A liga norte-americana

A princípio a liga dos EUA será somente no feminino. Na equipe, Sheilla contará com nomes prestigiados pela torcida brasileira. A ponta Dela McCledon é uma das jogadoras que também passou pelo Minas no ano de 2019/2020 e que foi convocada há alguns meses. As duas dividirão a quadra com a estrela americana Jordan Larson.

O torneio acontecerá em seis semanas tendo início em fevereiro do próximo ano. No total serão 30 confrontos e todos no mesmo local, auditório municipal de Nashville, no Tennessee. A competição será formada por doze jogadoras em cada equipe. O formato das partidas será semelhante ao Rei e Rainha do vôlei de praia e campeonatos amadores de basquete, baseado em um rodízio de equipes.

A Athletes Unlimited, em parceria com a USA Volleyball, anunciou seu intuito para a liga que funcionará da seguinte forma: os atletas auxiliarão a administrar a liga, assim não existirá conflito com a preparação dos americanos para os jogos do ano que vem. O formato inovador excluirá proprietários ou gerentes gerais. Os times serão escolhidos por quatro capitães em uma semana e a partir dos pontos daquela semana serão determinados líderes da próxima.