Pular para o conteúdo

São Paulo vive expectativa de quarteto no DM antes da final

    Daniel Alves, do São Paulo, foi substituído no primeiro tempo da final — Foto: Marcos Ribolli

    O resultado de 0 a 0 no Allianz Parque diante do Palmeiras pode até gerar comemoração. No entanto, a noite de quinta-feira do São Paulo terminou com um saldo negativo no departamento médico.

    Daniel Alves e Martín Benítez, protagonistas da campanha de finalista do Paulistão, deixaram o gramado lesionados e podem perder a decisão de domingo, às 16h, no Morumbi. Ambos serão avaliados no CT da Barra Funda na reapresentação da equipe, nesta sexta-feira.

    Os dois se juntam a Luciano, principal nome do ataque do São Paulo em 2020, e Eder, reforço para o setor ofensivo em 2021, como dúvidas para o jogo do fim de semana contra o Palmeiras, que define o campeonato estadual deste ano.

    Daniel Alves tentou retornar ao jogo, aos 31 minutos, logo após o atendimento médico, mas não aguentou as dores e pediu substituição. Igor Vinicius entrou no seu lugar.

    Benítez, por sua vez, passou parte da etapa inicial com um incômodo na região do adutor da coxa esquerda, perto da virilha, e conseguiu terminar os 45 minutos. Nos vestiários, porém, precisou ser substituído por Igor Gomes.

    Segundo o primeiro diagnóstico, Daniel Alves sofreu um trauma no joelho direito e vai passar por novos exames nesta sexta-feira. Já Martín Benítez, que deixou o confronto mancando no intervalo, tem dores no músculo adutor da coxa esquerda e também será reavaliado pela manhã.

    Luciano e a Eder, que acabaram vetados do confronto de quinta-feira na arena palmeirense, também vivem expectativa pela condição física. Dos dois, o primeiro é quem surge com mais chances de estar à disposição para a finalíssima de domingo, na qual o São Paulo precisa de uma vitória simples para se sagrar campeão estadual. Novo empate leva a decisão para os pênaltis.

    — Ainda não sei quanto tempo precisa o Dani, mas acredito que o Luciano pode jogar e vamos ver com o Eder — resumiu o técnico Hernán Crespo, sem citar Benítez na breve análise feita após o confronto diante do Palmeiras.

    As lesões reapareceram justamente na segunda grande maratona de jogos do São Paulo na temporada, somente tratando-se do calendário após a retomada do futebol no estado, em abril.

    O confronto diante do Palmeiras foi o terceiro em um espaço de cinco dias. Além do empate sem gols desta quinta-feira, o São Paulo ainda encarou o Racing (derrota por 1 a 0) na terça e o Mirassol (goleada por 4 a 0) no último domingo.

    O duelo decisivo contra o Palmeiras, portanto, registrará a quarta partida são-paulina no espaço de uma semana. A situação adversa, diante de um calendário corrido, acaba sendo minimizada dentro do clube do Morumbi, que luta para por fim a um jejum de oito anos e cinco meses sem títulos.

    — A partir do momento que você assina e concorda em jogar jogos a cada 48 horas, você não pode reclamar. A recuperação está sendo boa. Sabemos que somos um time que joga com muita intensidade, mas com certeza no próximo domingo estará todo mundo 100% com o trabalho que o São Paulo faz — afirmou o capitão Miranda.

    LEIA MAIS