Home Futebol Santos empata e vence imprevisto na Venezuela para avançar na Libertadores

Santos empata e vence imprevisto na Venezuela para avançar na Libertadores

A análise do empate em 1 a 1 com o Deportivo Lara, que garantiu o Santos na terceira fase da Libertadores, precisa ser dividida em duas partes. A primeira sobre o primeiro tempo de domínio completo do Peixe em Caracas, na Venezuela, e a segunda levando em conta apenas a falta de ideias e problemas para sair da pressão adversária depois do intervalo.

Mas é preciso, também, falar de um problema grave revelado pelo técnico Ariel Holan: uma dor de barriga em jogadores e membros da comissão técnica que deixou grande parte da delegação debilitada na partida desta terça-feira. É impossível falar da queda de rendimento no segundo tempo sem citar isso.

O problema estomacal começou depois do jantar da última segunda-feira. Jogadores e demais funcionários acordaram já durante a madrugada se sentindo indispostos e dormiram pouco por causa das necessidades fisiológicas.

Isto posto, podemos analisar, ainda com mais propriedade, o desempenho do Santos contra o Deportivo Lara. Era claro que o problema prejudicaria o Peixe, principalmente com o passar dos minutos, e deve ter sido decisivo para o segundo tempo abaixo do primeiro.

O Santos começou muito bem na partida desta terça-feira. Dominou o primeiro tempo. Não criou tantas chances, mas foi para o intervalo com 1 a 0 no placar e quase 70% de posse de bola. O Deportivo Lara é que parecia ser o visitante em Caracas – jogava com linhas baixas e praticamente não pressionava os santistas.

Ariel Holan montou o Santos com Alison entre os zagueiros nas saídas de bola e os laterais centralizados para que os defensores tivessem mais opções. Felipe Jonatan, pela esquerda, chegou com perigo em duas oportunidades na etapa inicial. Foi por ali que começou e terminou a jogada do gol do Peixe, de falta, marcado por Soteldo.

O segundo tempo, porém, foi bem diferente. Principalmente pela necessidade de correr atrás do placar, o Deportivo Lara adiantou suas linhas e tirou a tranquilidade do Santos, que saía jogando sem pressão na etapa inicial.

O Peixe não conseguiu reagir à mudança de postura do Deportivo Lara. Acumulou erros de passes, teve problemas na recomposição e viu os donos da casa empatarem justamente no maior problema dos últimos anos: a bola aérea.

As válvulas de escape do Santos passaram a ser os jogadores que entraram no segundo tempo, descansados: Lucas Braga, Gabriel Pirani e Bruno Marques. O Peixe até puxou alguns contra-ataques, mas a maior parte do segundo tempo foi de erros de saída de bola e pressão do Deportivo Lara.

Para conseguir sair da “armadilha” montada pelos donos da casa, o Santos precisava aproximar mais seus jogadores no campo de defesa e trocar passes para buscar as costas dos defensores adversários. Isso, porém, não saiu do papel.

Mesmo diante de todos os problemas, o Santos conseguiu se classificar para a próxima fase da Libertadores. Agora, aguarda o vencedor do confronto entre Universidad de Chile e San Lorenzo.

LEIA MAIS

- Advertisment -

Popular

No Fluminense, Martinelli vai para 1ª Libertadores com Europa de olho

Titular absoluto com apenas 19 anos, volante recebe sondagens de clubes da Inglaterra antes do torneio de maior vitrine Em cinco meses, tudo pode mudar....

Anderson Silva reconhece favoritismo de Julio Cesar Chávez Jr. em confronto do dia 19 de junho

Spider exalta oponente, mas vê chance de conseguir nocaute Depois de deixar o Ultimate, Anderson Silva assinou contrato para enfrentar Julio Cesar Chávez Jr. em...

Miami bate Lakers e vence a quinta em seis jogos

Time da Califórnia não é páreo para Butler e Oladipo, que deixa a quadra com lesão no joelho Jogando em casa, o Miami Heat completou...

F1 2021: salário de Hamilton encolhe R$ 57 mi, mas ainda é o maior

Receita do atual campeão cai de R$ 225 milhões, em 2020, para R$ 168 milhões no novo contrato; Vettel também tem redução drástica com...