Pular para o conteúdo

Time reserva na Libertadores expõe pressão por fim de jejum de títulos no São Paulo

Crespo, técnico do São Paulo, passa instruções para Igor Gomes e Gabriel Sara — Foto: Rubens Chiri

São quase nove anos sem títulos, e a pressão por uma taça ganha patamares elevados no São Paulo. Tanto que a equipe atualmente comandada por Hernán Crespo, em decisão da comissão técnica e respaldada pela diretoria, decidiu levar uma equipe praticamente toda reserva para encarar o Rentistas, nesta quarta-feira, às 19h (de Brasília), no Uruguai, pela Libertadores.

Diante de uma nova maratona, com possíveis quatro partidas no espaço de uma semana, o São Paulo decidiu priorizar no momento o Campeonato Paulista, que surge como possibilidade mais próxima de uma conquista. O time joga a fase quartas de final na sexta-feira, contra a Ferroviária, no estádio do Morumbi, com uma equipe reforçada..

A quebra de jejum de títulos surge como principal objetivo esportivo da atual diretoria presidida por Julio Casares. O São Paulo não levanta um troféu desde a Copa Sul-Americana de 2012. Restringindo o panorama somente ao estadual, a última conquista ocorreu em 2005.

Neste período, os rivais acumularam troféus, enquanto o torcedor são-paulino viveu mais frustrações. Desde a década passada, o clube do Morumbi venceu a Sul-Americana e acumulou 28 eliminações em mata-matas, justamente o tipo de competição a ser enfrentado na sexta-feira contra a equipe de Araraquara.

O Corinthians ganhou Mundial (2012), Recopa Sul-Americana (2013), dois Brasileiros (2015 e 2017) e quatro Paulistas (2013, 2017, 2018 e 2019). Por outro lado, o Palmeiras levantou uma Libertadores (2020), dois Brasileiros (2016 e 2018), duas Copas do Brasil (2015 e 2020), um Paulistão (2020) e uma Série B (2013).

Já o Santos conquistou por duas vezes o estadual (2015 e 2016). O Paulistão, aliás, é a única competição na qual o São Paulo chegou a uma decisão depois do título da Sul-Americana de 2012. Na final da edição de 2019, a equipe perdeu para o Corinthians.

Diante deste cenário, o planejamento do São Paulo é enviar a campo quem estiver fisicamente melhor nos possíveis dois jogos de Paulistão na semana, obviamente consultando os médicos e fisiologistas do clube. As lesões de Daniel Alves, Luciano e Eder diante do Racing também colaboraram para a decisão de poupar peças para sexta-feira.

Os três sofreram com problemas musculares e dificilmente terão condições de atuar nas possíveis duas decisões pelo estadual. O São Paulo joga a fase quartas de final na sexta-feira e provavelmente a semifinal, se passar, já no domingo.

Assim, consequentemente, há a conclusão de que seria impossível repetir o time em um espaço de praticamente 48 horas entre uma partida, que pode assegurar a vaga nas oitavas da Libertadores, e outra decisiva do Paulistão, ainda mais com uma viagem no meio do caminho.

Mesmo no ano passado contra o Binacional, já sem chances de classificação para o mata-mata, Fernando Diniz levou uma equipe majoritariamente titular e goleou por 5 a 1.

O estadual ganha até status de “Copa do Mundo”, muito pelo mérito do São Paulo na competição. A equipe fez a melhor campanha da primeira fase com 27 pontos e entra no mata-mata com favoritismo pelo desempenho no Paulistão.

Além de liderar a pontuação, o São Paulo chega com o melhor ataque para a etapa mais decisiva do estadual. São 28 gols marcados, sete a mais do que o Corinthians, que chegou aos 21 ao golear a Inter de Limeira pelo placar de 4 a 1 e assegurar vaga na semifinal.

Os números respaldam a confiança na campanha dentro do Paulistão. Ao mesmo tempo, elevam a pressão para uma possível conquista do campeonato estadual. Tanto que Crespo vai quebrar um retrospecto de mais de 30 anos sem o São Paulo colocar a Libertadores em segundo plano durante uma semana.

Segundo o pesquisador Alexandre Giesbrecht, será a primeira vez que o São Paulo relega uma partida de Libertadores a um segundo plano desde 1992, quando uma formação repleta com suplentes estreou na competição com derrota por 3 a 0 sobre o Criciúma, em Santa Catarina. O clube se consagrou campeão do torneio naquela edição, posteriormente.

LEIA MAIS