Pular para o conteúdo

Rafael Cordeiro destaca treino com Mike Tyson como um dos momentos mais importantes de sua carreira

Foto: Reprodução/Instagram

Treinador demonstrou fé no retorno de Werdum, porém foi surpreendido com a derrota do brasileiro

Rafael Cordeiro, eleito duas vezes melhor treinador de MMA do mundo é líder do grupo Kings MMA e já teve sob seu domínio nomes como Wanderlei Silva e Maurício Shogun e atualmente treina Fabrício Werdum. O treinador não teve hesito em apontar a parceria com “Iron Mike” como um dos momentos mais significativos de sua trajetória no esporte após treiná-lo.

“Fui campeão brasileiro de muay thai, campeão do IVC, duas vezes coach do ano, e igualo esses treinos que estou dando ao Tyson com a mesma alegria que todos essas premiações que ganhei na minha carreira. Com certeza este é o ápice da minha carreira, quando tive a oportunidade de fazer manopla e treinamento para o maior de todos os tempos”, falou Rafael Cordeiro ao canal Combate, em entrevista por telefone.

Com o vídeo do treino que viralizou na internet, Cordeiro e o ex-lutador se conheceram nas filmagens do filme “Kickboxer: Retaliation”, filme de Jean-Claude Van Damme cujo Tyson e Werdum atuaram como atores. Na época, o treinador estava trabalhando com Mike há três semanas.

“A mentalidade dele na hora do treino, é uma coisa que ele se transforma. Ele é muito focado. Na hora de aquecer, ele bota o sonzinho dele no ouvido, meia hora na bicicleta, e quando vai para o treino ele vai soltando as bombas desde o primeiro até o último soco. Ele estuda cada movimento que faz. É um cara muito detalhista. A cada combinação que a gente passa, ele para no meio para saber se a postura dele de corpo, de braço está boa, se ele está jogando bem o ombro, se está achando a distância… Mais do que estar dando o treino, estou tendo uma grande aula de humildade”, falou Cordeiro, que confessou ter balançado com as pancadas, embora tenha usado proteção pesada.

Veja também: Mike Tyson estará de volta aos ringues em novembro

“Aquele colete segura muito bem o soco, mas eu te digo: você fica dolorido alguns dias ainda. A gente está na terceira semana de treino, e eu estou puxando escolinha para todo mundo, para o Werdum, para o Guiga, agora para o Tyson… Com certeza vou me aposentar muito cedo, mais cedo do que eu imaginava (risos). E mais feliz! Com dor no corpo, mas de alma lavada”, revelou Cordeiro.

Na época, Fabrício Werdum estava escalado para duelar no UFC 249 e foi o primeiro evento da companhia desde o começo da pandemia do novo Coronavírus, por isso Cordeiro deu uma pausa nos treinos com Tyson. Werdum estava afastado há dois anos pela Agência Antidoping dos EUA. O treinador estava feliz com o retorno de seu companheiro e também por voltar à atividade.

“É uma grande luta para o Werdum voltar. O Werdum está mostrando uma vontade muito grande de voltar ao octógono, ele pediu muito, brigou muito tempo com a USADA por este momento, para voltar à atividade. Passado todo esse drama dos dois anos, ele se empenhou muito nos treinos, foi para a montanha nessa parte da epidemia, essa loucura que teve, se isolou na montanha. Nós fizemos muitos treinos online, mas também fiz questão de estar com ele e ir para lá”, relatou o treinador.

Werdum por fim, perdeu o duelo para o ucraniano Oleksiy Oliynyk.

Fonte: Globo Esporte