Conheça o perfil do tenista Thiago Monteiro

Perfil de Thiago Monteiro

Conheça a trajetória de Thiago Monteiro no tênis

O tênis brasileiro tem agora em Thiago Monteiro a grande expectativa por resultados. Conheça um pouco mais deste atleta neste perfil com a biografia do tenista nesse que é um dos principais esportes olímpicos.

A trajetória de Thiago Monteiro

Com uma carreira precoce e alguns desempenhos expressivos, Thiago Monteiro nasceu em 31 de maio de 1994, em Fortaleza. O jogador é o melhor brasileiro no ranking da ATP. Veja na sequência um pouco das melhores apresentações e os principais feitos nos torneios mais importantes do tênis.

Começo da carreira

Thiago Monteiro começou a atuar em 2004, quando tinha apenas 10 anos. Só que foi apenas em 2010, quando finalmente figurou no ranking da Associação de Tenistas Profissionais (ATP) ao conquistar um ponto.

O primeiro título profissional no exterior viria três anos depois, quando venceu o Future em Antalya, na Turquia, ao superar o tcheco Jan Minar.

Em 2015, Thiago chegou perto de finalmente entrar na chave principal de um torneio da ATP. Ele bateu na trave no Qualifying de Buenos Aires e de Houston.

Depois disso sofreu com algumas lesões o que fez com que não conseguisse evoluir tanto no final daquela temporada.

O brasileiro voltaria a crescer em 2016, quando finalmente começou a aparecer nas listas dos Grand Slam.

O Thiago Monteiro também entrou pela primeira vez no top 100 do Mundo em 2016, quando viveu a melhor fase, fechando o ano na 82ª posição do ranking da ATP. Entre 2019 e 2021 rondou próximo, mas não conseguiu terminar melhor que este posto.

Já em 2022, Thiago Monteiro alcançou em 1 de agosto a 62ª posição, o que é disparado o grande feito. Isso ocorreu por conta do título do Challenger de Salzburg, na Áustria. Este é o maior título da carreira do cearense.

Desempenho em Grand Slams

Thiago Monteiro é um nome frequente do Brasil em Grand Slam, seja como cabeça de chave ou nas disputas dos torneios de qualificação. Confira o desempenho em cada uma das principais competições.

Saiba aqui também como apostar nestes maiores campeonatos de tênis.

Aberto da Austrália

De todos os Grand Slams, o Aberto da Austrália foi o que Thiago Monteiro mais demorou a ter uma chance. Ele só disputou pela primeira vez em 2017 e só venceu a primeira partida em 2021. Na ocasião ele caiu para Andrey Rublev, que estava no top 10 do ranking.

Roland Garros

O melhor desempenho de Thiago Monteiro em um Grand Slam foi em Roland Garros, na edição de 2020. Na ocasião o brasileiro só foi superado na terceira rodada, quando caiu para Márton Fucsovics. O húngaro era um dos destaques do torneio por ter eliminado o cabeça de chave Daniil Medvedev.

O brasileiro ainda avançaria para a 2ª rodada da França em duas oportunidades, em 2017 e 2021.

Wimbledon

Em Wimbledon, o tenista só conseguiu uma vitória, em 2017, quando avançou para a 2ª rodada. Na ocasião acabou caindo para Karen Krachanov.

Aberto dos Estados Unidos

Já o aberto dos Estados Unidos é o torneio que Thiago tem o pior desempenho. O brasileiro nunca venceu na fase principal da disputa, sendo eliminado no qualificatório ou logo na primeira rodada.

Demais torneios

Thiago Monteiro também participou de muitos outros torneios profissionais, alguns com destaques, mas outros sem deixar boas lembranças.

ATP Masters 1000

Com grande peso para o ranking, os torneios Masters 1000 não trazem boas recordações para Thiago Monteiro. Ele nunca conseguiu passar da 1ª rodada, o que significa um desempenho inferior até mesmo aos Grand Slams.

Jogos Olímpicos

Thiago Monteiro teve também uma participação em Jogos Olímpicos, na edição de 2021, em Tóquio. Ele carregava a pressão de tentar trazer uma medalha que nem Jaime Oncins, Gustavo Kuerten e Thomaz Bellucci não conseguiram, ao caírem nas quartas. E nem mesmo Fernando Meligeni, que perdeu a disputa do bronze em 1996.

No entanto, Thiago acabou derrotado logo na estreia para Jan-Lennard Struff, por 2 sets a 0, com parciais de 6 a 3 e 6 a 4.

Challenger Tour

O ponto alto do currículo de Thiago Monteiro está nas disputas de Challenger Tour. O tenista chegou a primeira final de competições deste nível em 2016, quando foi campeão em Aix-en-Provence. Depois disso ainda levantaria o troféu em seis oportunidades, sendo duas em Punta del Este. O brasileiro ainda chegaria na final em outras cinco competições, mas sendo derrotado nas decisões.

Futures Tour

No começo da carreira, Thiago Monteiro teve bons desempenhos nos Futures Tour. Entre 2011 e 2014 chegou em oito finais, vencendo cinco delas. Foram dois títulos em Antalya, um em Middelburg, um em Salvador e outro em Bauru.

Torneios de Duplas

O tenista também competiu nas duplas e inclusive foi campeão em Antalya desta forma, assim como já fez nas simples. Ele também faturou um título na Georgia em 2015. O último grande desempenho nas duplas foi em Guayaquil em 2018, quando ficou com o vice no Challenger realizado no país.

Rendimento contra jogadores no top 10

Apesar de não ter avançado muito nos Grand Slams, Thiago Monteiro já ficou frente a frente com tenistas que já entraram no top 10 em 24 oportunidades. Até aqui o maior desafio foi contra Daniil Medvedev, que chegou a ser número 1 do Mundo. O encontro ocorreu em 2019, com vitória do russo.

Por outro lado, tem triunfos de Thiago também para contar. O melhor retrospecto é diante de Gilles Simon, no qual o brasileiro saiu vitorioso em duas oportunidades, mesmo o francês já tendo sido número 6 da ATP.

Thiago também tem vantagens contra Tommy Robredo e Nicolás Almagro, com uma vitória em um confronto realizado. Ele também venceu Jo-Wilfried Tsonga, Gael Monfils e Fernando Verdasco, mas nestes casos venceu uma e perdeu uma.

Já diante de outros 11 adversários ele apenas saiu derrotado. Veja aqui como você pode apostar nos próximos desafios de Thiago nas principais competições de tênis.

Comparação com brasileiros

Desde que Gustavo Kuerten encerrou a carreira sempre ficou a expectativa por qual tenista conseguiria trazer resultados expressivos. Com a 62ª posição, Thiago Monteiro está próximo de se igualar a Thomaz Bellucci, Flávio Saretta e Ricardo Mello como os únicos brasileiros a entrar no top 50 da ATP após a parada de Guga.

O desempenho atual também chama a atenção, afinal, Thiago é o único brasileiro do top 100 em 2022.00