Home Basquete Mogi vence o Campo Mourão e quebra jejum de vitórias no NBB

Mogi vence o Campo Mourão e quebra jejum de vitórias no NBB

Time mogiano vence por 96 a 79

Dominante, o Mogi das Cruzes venceu o Campo Mourão por 96 a 79, nesta quinta-feira (11), e quebrou o jejum de vitórias no NBB que já durava três jogos. A partida aconteceu no ginásio poliesportivo Henrique Villaboim, em São Paulo.

Apesar da vitória, o Mogi permanece no 9º lugar da classificação, agora com 13 vitórias em 25 partidas e 52% de aproveitamento. O Campo Mourão chegou ao décimo primeiro jogo sem triunfos e é o penúltimo na tabela, com apenas cinco vitórias em 24 jogos.

O cestinha do confronto foi o ala norte-americano Dominique Coleman, do Mogi, com 20 pontos. Além dele, a equipe mogiana contou com outros destaques, como os alas-pivôs Wesley Castro (17 pontos) e Gruber (12 pontos) e o armador Fúlvio, que quase atingiu um triplo-duplo após anotar 14 pontos, 14 assistências e 8 rebotes. Pelo Campo Mourão, o armador Luizinho, com 13 pontos, foi o maior pontuador.

Os dois times voltam a jogar pelo NBB no próximo domingo (14). O Campo Mourão enfrenta o Caxias do Sul, às 9h (de Brasília), e o Mogi das Cruzes entra em quadra na sequência para encarar o Minas, às 11h (de Brasília). As duas partidas vão acontecer no ginásio poliesportivo Henrique Villaboim, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo.

O jogo

Mogi e Campo Mourão começaram o jogo forçando os arremessos de três, o que deixou o placar zerado nos primeiros minutos. Os times passaram a explorar as jogadas no garrafão e as bolas começaram a cair, principalmente do lado mogiano, que contou com boa atuação do ala Lessa nos dois lados da quadra para abrir sete de frente (15 a 8). Aliás, a forte marcação feita pelo Mogi limitou o ataque do adversário paranaense, que teve dificuldades para pontuar. Desta forma, o Mogi das Cruzes subiu a diferença no placar e fechou o primeiro período por 24 a 12.

Na segunda parcial, os ataques funcionaram e o duelo foi disputado ponto a ponto. O Mogi passou a rodar mais a bola e usar os espaços na defesa adversária. Já o Campo calibrou a mão nas bolas de três pontos e teve um bom aproveitamento no período (50% – 4 acertos em 8 tentados). Apesar do ritmo acelerado, o Mogi fez valer a vantagem construída na parcial anterior e foi para o intervalo vencendo por 51 a 36.

Na volta dos vestiários, a partida seguiu intensa e com os times trocando pontos. Com o passar do tempo, o Campo Mourão acertou a defesa e aproveitou as bolas de segunda chance para diminuir a diferença para dez (63 a 53). A equipe mogiana sentiu a melhora do rival e teve dificuldades para pontuar. Mais ligado, o Campo Mourão foi encostando no placar ao final da terceira parcial, que fechou com o Mogi ainda na liderança por 70 a 64.

Depois de um começo de segundo tempo ruim, o Mogi acordou na última parte da partida. Com duas bolas de três em sequência, os mogianos voltaram a ter mais de dois dígitos de vantagem no placar (70 a 64). O Campo Mourão novamente parou na defesa do adversário paulista e o rendimento no ataque caiu. Por outro lado, o trio Fúlvio, Coleman e Wesley, foi dando o ritmo em quadra do Mogi, que não teve dificuldades para ampliar a diferença e fechar o jogo em 96 a 79.

LEIA MAIS

Unifacisa bate o Mogi e vence quarta seguida no NBB

- Advertisment -

Popular

No Fluminense, Martinelli vai para 1ª Libertadores com Europa de olho

Titular absoluto com apenas 19 anos, volante recebe sondagens de clubes da Inglaterra antes do torneio de maior vitrine Em cinco meses, tudo pode mudar....

Anderson Silva reconhece favoritismo de Julio Cesar Chávez Jr. em confronto do dia 19 de junho

Spider exalta oponente, mas vê chance de conseguir nocaute Depois de deixar o Ultimate, Anderson Silva assinou contrato para enfrentar Julio Cesar Chávez Jr. em...

Miami bate Lakers e vence a quinta em seis jogos

Time da Califórnia não é páreo para Butler e Oladipo, que deixa a quadra com lesão no joelho Jogando em casa, o Miami Heat completou...

F1 2021: salário de Hamilton encolhe R$ 57 mi, mas ainda é o maior

Receita do atual campeão cai de R$ 225 milhões, em 2020, para R$ 168 milhões no novo contrato; Vettel também tem redução drástica com...