Pular para o conteúdo

Brasil na F1: Pietro Fittipaldi substituirá Grosjean no GP de Sakhir

    Reprodução @PiFitti

    Pietro é neto do bicampeão Emerson Fittipaldi, atua como piloto reserva do time americano há duas temporadas e será o 32º brasileiro a disputar um Grande Prêmio de Fórmula 1. O último piloto a representar o Brasil na categoria foi Felipe Massa, que se aposentou ao final da temporada de 2017.

    O chefe da equipe, Gunther Steiner, explicou que uma vez que ficou decidido que Grosjean não poderia correr a etapa de Sakhir, escolher Fittipaldi para função foi uma tarefa fácil, já que considera o piloto pronto para o desafio.

    – Depois que foi decidido que a melhor coisa para Romain era perder pelo menos uma corrida, a escolha de colocar Pietro no carro foi bem fácil. Pietro está familiarizado com o carro pelo fato de estar com a equipe nas últimas duas temporadas como piloto reserva e de testes. É a coisa certa a fazer e é obviamente uma boa oportunidade para ele, que tem sido paciente e sempre esteve preparado. Agora ela chegou. É por isso que o queremos no carro e tenho certeza que ele fará um bom trabalho. É muito complicado ser chamado no último minuto, mas como eu disse, acho que é a coisa certa a fazer pelo time – afirma Steiner.

    Fittipaldi acompanhou a Haas na maioria das corridas de 2020 atuando como piloto de testes e tem em seu currículo o título da Fórmula V8 Series, além de ter disputado etapas da Fórmula Indy em 2019. O brasileiro já testou os dois últimos carros da Haas na F1 em sessões de treinos livres e de pré-temporada.

    A temporada 2019 foi a que Pietro mais teve contato com o carro da Haas. Apenas no circuito de Abu Dhabi, nas sessões de testes de jovens piloto após ao fim do campeonato, o brasileiro completou 135 voltas, o equivalente a dois GPs e meio. Além disso, o piloto já andou mais de dois mil quilômetros com um carro de F1, totalizando 422 voltas em três circuitos distintos: Yas Marina, Sakhir e Barcelona.

    – O mais importante de tudo é que Romain está seguro e bem. Estamos todos felizes que os ferimentos tenham sido leves após um acidente assustador. Claro que não é circunstância ideal para estrear na F1, mas sou extremamente grato ao Gene Haas e Gunther Steiner por me colocarem no carro neste fim de semana. Tenho acompanhado o time durante muito tempo nessa temporada, tanto nas pistas do calendário quanto no simulador, então estou familiarizado com a forma que o time opera durante um Grande Prêmio. Será incrível poder largar pela primeira vez na F1. Darei meu máximo e já estou ansioso para o primeiro treino livre na próxima sexta-feira – afirma o brasileiro.

    Recuperação de Grosjean

    Também na manhã desta segunda, a equipe emitiu um novo comunicado para explicar o estado de saúde de Grosjean. Segundo a equipe, além de o tratamento para as queimaduras em ambas as mãos estar indo bem, o piloto deverá ter alta nesta terça-feira.

    – O piloto da Haas Romain Grosjean continua seu tratamento no hospital BDF no Barein, onde ele passou a noite após ao acidente que sofreu no GP do Barein, neste domingo. O tratamento para as queimaduras que Grosjean sofreu nas costas de ambas as mãos está indo bem. – publicou a Haas.

    Grosjean ficou no cockpit em chamas por 29 segundos, mas, sem ter desmaiado com o impacto, conseguiu sair do que sobrou de seu carro e correu para pular o guard rail enquanto sua Haas continuava pegando fogo. Na confusão, o piloto saiu correndo sem uma das sapatilhas