Pular para o conteúdo

Dinheiro da Arábia Saudita pode inflacionar futebol

    Dinheiro da Arábia Saudita

    As cifras de salários e contratações no mercado do futebol estão cada vez mais altas. Só que a tendência é que com o dinheiro da Arábia Saudita tudo fique ainda mais inflacionado nos próximos anos. Isso ocorre devido às movimentações do Newcastle United e também da ida de Cristiano Ronaldo para o país.

    Reforço de Cristiano Ronaldo

    A especulação que surgiu durante a Copa do Mundo se concretizou. Cristiano Ronaldo foi anunciado pelo Al-Nassr, da Arábia Saudita e terá um salário astronômico.

    O português vai receber cerca de US$ 212 milhões por ano para jogar as próximas duas temporadas no país. Isso faz com que CR7, aos 37 anos, se torne o jogador de futebol mais bem pago da história.

    Um valor tão alto que só os ganhos do atacante já são maiores do que a folha salarial de quase metade da Premier League Inglesa, que é a mais rica do futebol mundial. A ida de Ronaldo para o país está totalmente ligada ao interesse da Arábia Saudita de ser sede da Copa do Mundo 2030.

    Compra do Newcastle

    O reforço de Cristiano Ronaldo para o futebol saudita foi na verdade o segundo grande movimento de dinheiro da Arábia Saudita.

    Isso porque no final de 2021, o Fundo de Investimento Público Saudita anunciou a aquisição do Newcastle United, clube tradicional da Premier League.

    Novos investimentos

    Além da movimentação com Cristiano Ronaldo e Newcastle United, a Arábia Saudita também tem investido pesado em acordos de patrocínios. Segundo o Financial Times, o Fundo de Investimentos da Arábia gastou mais de US$ 2 bilhões nos primeiros oito meses de 2022.

    A especulação agora é se o Fundo Saudita fará uma movimentação similar ao dos Emirados Árabes Unidos, que além da aquisição do Manchester City, passaram a adquirir outros clubes ao redor do Mundo. São nove times divididos em quatro continentes.

    Outra questão é a possibilidade da Arábia Saudita também buscar voos ainda mais altos do que com o Newcastle United. Isso porque tanto o Liverpool quanto o Manchester United estão disponíveis no mercado.

    MLS ameaçada

    O investimento com dinheiro da Arábia Saudita também pode ter impacto na MLS. A liga norte-americano havia se tornado um destino desejado para alguns grandes nomes em final de carreira, como David Beckham, Thierry Henry, Andrea Pirlo e Zlatan Ibrahimovic, por exemplo.

    A liga tem se fortalecido e ampliado o número de clubes. No entanto, passa a ter um concorrente de impacto e disposto a investir ainda mais pesado. Algo que pode dificultar a ida de novas estrelas para os Estados Unidos e retardar a evolução do futebol no país.

    Inflação europeia                             

    Só que o principal risco está realmente ligado à inflação que o dinheiro da Arábia Saudita pode causar no futebol.

    Afinal, se o país estiver realmente disposto a contratar grandes estrelas, terá que pagar mais do que a Europa para conseguir atraí-los. Consequentemente os clubes europeus terão que investir mais para mantê-los ou repatriá-los.

    Assim como a disputa pela contratação pode fazer com que os europeus tenham que entrar em leilões com os sauditas.