Pular para o conteúdo

Covid-19 e lesões tiram principais jogadores do Brasil para jogo contra Venezuela

    Foto: Lucas Figueiredo/CBF

    Neymar, Philippe Coutinho e Casemiro são alguns dos jogadores que não estarão em campo nesta sexta

    A seleção brasileira será desfalcada por três jogadores titulares para o jogo desta sexta-feira (13), às 21h30 (de Brasília), contra a Venezuela, pela terceira rodada das Eliminatórias Sul-Americanas à Copa do Mundo do Qatar. Além do meia Philippe Coutinho e do atacante Neymar com problemas musculares, Casemiro foi diagnosticado com Coronavírus. Com a perda no meio e no ataque, Tite terá apenas a linha defensiva inteira para a disputa no Morumbi.

    Melhor dizendo, a defesa contará com um “reforço”: Alisson, o goleiro do time estará à disposição do treinador após voltar recuperado de uma lesão no ombro que o tirou por 30 dias do Liverpool e também dos dois primeiros confrontos das Eliminatórias. O camisa 1 se apresentou ontem (9) à Granja Comary onde está a concentração da seleção. Dessa forma, Weverton será opção ao titular acompanhado com Ederson.

    Se não houver nenhuma alteração de ordem técnica, a escalação da equipe para esta sexta-feira inicia com os seguintes jogadores: Alisson; Danilo, Marquinhos, Tiago Silva e Renan Lodi. A começar do primeiro volante, na falta de Casemiro e Fabinho, é que surgem as dúvidas que vão ser decididas nos treinos ao longo da semana.

    Com a linha defensiva intacta, o time brasileiro terá o propósito de reparar os erros realizados contra a seleção do Peru quando sofreu dois gols. Nesta fase para a Copa de 2022, iniciada após o Mundial da Rússia-2018, a equipe do Brasil tinha tomado dois gols no mesmo jogo apenas na disputa contra a Colômbia, em 6 de setembro do ano passado, quando resultou no empate por 2 a 2.

    Veja também: Flamengo oficializa contratação de Ceni e jogadores comemoram a chegada do treinador

    Alex Sandro foi o responsável naquele jogo por cometer duas falhas individuais: falta de atenção ao cometer pênalti e depois num erro de cobertura. Já diante a seleção adversária, os erros foram generalizados.

    No primeiro gol do Brasil, Roberto Firmino perdeu a posse de bola em confronto no meio e em seguida em um bate-rebate em que Marquinhos não conseguiu tirar o perigo, Carrillo foi quem apareceu e marcou um golaço. O segundo veio quando Rodrigo Caio desviou o chute de Renato Tapia, no rebote que enganou o goleiro Weverton e balançou a rede.

    “Manter uma linha defensiva que vem sendo convocada e atuando junto dá uma confiança maior, mas os jogadores que estão vindo deixam o Tite bem servido”, comentou Thiago Silva.

    A defesa do time brasileiro não saiu ileso aos vários problemas desta convocação, pois Rodrigo Caio sofreu com lesão e Éder Militão foi diagnosticado com o novo Coronavírus. A sorte é que ambos os jogadores não são titulares e foram substituídos por Felipe e Diego Carlos que fará estreia.

    A seleção brasileira sofreu 19 gols, sendo sete deles em bolas aéreas, provocados por escanteios e faltas laterais. Vale dizer que estes dados da equipe são todos sob comando do técnico Tite e a sua maior apreensão no momento é em relação ao sistema defensivo que apresentará intacto no estádio do Morumbi para demonstrar que é digno da confiança do treinador.