Pular para o conteúdo

Como se tornar um árbitro de futebol

    como se tornar um árbitro de futebol

    O papel do árbitro é um dos mais importantes do futebol. Além disso, trata-se de uma função que pode ser exercida por quase qualquer um, desde que se prepare. Confira abaixo tudo o que você precisa saber sobre como se tornar um árbitro de futebol no Brasil.

    O papel dos árbitros

    A função do árbitro é tão necessária, que logo nos primeiros anos do futebol o posto já foi criado. O famoso “juiz” não fazia parte das 13 regras iniciais, mas em 1867 o primeiro ia para campo. Nos anos seguintes foram evoluindo, ganhando apito e também recebendo a companhia de assistências.

    Realidade do profissional de arbitragem

    Apesar da tamanha importância da arbitragem para o futebol acontecer, eles não estão inseridos em um sistema tão profissional.

    Isso porque não há contratos estabelecidos entre as Confederações e federações e os árbitros. Ou seja, não há qualquer garantia de rendimentos e nem certeza de que serão escalados para as partidas.

    Todos os árbitros atuam como profissionais autônomos. Ou seja, sem carteira assinada e sem salário fixo.

    Portanto, vivem em uma situação de instabilidade, pois em caso de lesão ou qualquer afastamento, ficam sem qualquer renda. Por isso, é muito comum que muitos atuem também em outras profissões.

    Só que apesar desta situação, os árbitros estão amparados na lei 12.867/2013. Portanto, graças à legislação podem se organizar em categorias, como as associações de arbitragens.

    Através desses sindicatos conseguem reivindicar uma presença nos campeonatos para os membros e também pagamentos maiores.

    Os passos para se tornar um árbitro de futebol

    O processo para ser um árbitro pode ser longo e exige que você tenha um certo conhecimento na área para encontrar alguns atalhos na profissão.

    Ainda assim, é fundamental que quem queira entrar neste ramo tenha entre 18 e 25 anos. Isso é importante para conseguir subir a grandes competições ainda com condições físicas de ficar por muitos anos e consequentemente ganhar dinheiro na profissão.

    Para se tornar um árbitro de futebol no Brasil é necessário que tenha concluído o terceiro ano do ensino médio.

    Portanto, não há a exigência de ter graduação em Educação Física ou qualquer outro curso de nível superior. Depois o profissional precisa concluir um curso oficial da Formação de Árbitros de Futebol.

    Estes cursos são disponibilizados pelas Federações de futebol de cada estado e contam com uma duração de dois anos em média.

    Durante este período, o futuro árbitro se aprofundará em todas as regras do jogo de futebol, dos regulamentos das competições, das interpretações dos lances e todos os outros temas referentes à atuação da arbitragem durante os 90 minutos, mas também antes e depois do jogo.

    Ainda durante o curso, o árbitro tem contato com a prática e é selecionado para atuar em partidas de campeonatos estaduais da base. Com isso, tem a experiência de jogo durante torneios do infantil e juvenil.

    Ascensão profissional

    Com o curso concluído e a experiência das categorias de base, o árbitro passa a ficar disponível para ser relacionado para as partidas do profissional.

    Nesta etapa de como se tornar um árbitro de futebol, o profissional é chamado para jogos da terceira ou quarta divisão estadual.

    Somente depois de alguns anos é que o árbitro passa a ser escolhido para as partidas da elite estadual. Ainda assim, primeiramente através de confrontos de menor importância.

    No entanto, nesta fase, o profissional ainda é escolhido para poucas partidas. O que faz com que tenha que atuar também em competições amadoras para completar renda e também se tornar mais conhecido.

    Neste processo é fundamental também iniciar um curso superior, pois é um requisito para subir do nível estadual para o nível nacional, que significa também remunerações melhores.

    Portanto, se desejar apitar um jogo do Campeonato Brasileiro ou Copa do Brasil, terá que fazer um curso de graduação.

    Após algumas partidas em nível estadual e caso consiga se destacar, o árbitro é convidado para fazer parte do quadro nacional.

    Novamente, isso não significa qualquer garantia. É possível que suba de nível e ainda assim seja utilizado em poucos jogos nos primeiros anos.

    Somente com boas atuações e prestígio, o profissional passa a ter uma certa estabilidade, de ser escalado quase todas as semanas.

    A etapa seguinte desta evolução é integrar o quadro da Confederação Continental, no nosso a CONMEBOL. Com isso, começa a apitar partidas da Copa Libertadores, da Copa Sul-Americana e também das seleções.

    O último degrau é ser selecionado árbitro FIFA. Neste caso, o objetivo máximo é chegar a Copa do Mundo. Porém, este é um posto que somente dois ou três árbitros conseguem em cada edição.

    Só que ao integrar o quadro FIFA, o árbitro pode ser selecionado para apitar outros jogos de seleções, inclusive de Mundiais de divisões de base.

    Qual a função do árbitro?

    O árbitro tem como tarefa garantir que as regras do futebol sejam aplicadas. Tem como papel também interpretar as faltas e também administrar o tempo de jogo, indicando os minutos adicionais que a partida deve ter.

    Além disso, o árbitro tem que fiscalizar todas as condições de jogo, para garantir que o duelo vai acontecer em conformidade às regras.

    No final da partida, o profissional precisa também relatar tudo o que aconteceu na partida. Passará das suas anotações para o documento oficial da Federação quem fez os gols e quem tomou os cartões. Assim como também indicar se ocorreu alguma irregularidade por parte dos jogadores, comissão técnica ou torcida.

    Quanto ganha um árbitro?

    Como de qualquer profissão, existe a curiosidade de saber quanto é possível receber. Neste caso, os ganhos variam muito, de acordo com cada Estado e também as competições que serão apitadas.

    Porém, na média indicada pelos profissionais, um árbitro em competições de base recebe cerca de R$ 80 por jogo, enquanto nos torneios amadores a remuneração é de R$ 140 em média.

    Esta remuneração aumenta de acordo com o sucesso profissional. Ao fazer parte do quadro da Confederação Brasileira de Futebol, este pagamento passa a ser de R$ 2.500 em média. Já uma partida internacional dos árbitros FIFA tem valor de R$ 3.000.

    Marcações: