Pular para o conteúdo

Cinco vezes em que mascotes do futebol viraram notícia

    Foto: Mariana Sá/CBF

    Canarinho Pistola é um dos principais protagonistas da lista

    A seleção brasileira feminina se despediu da temporada deste ano com dois jogos de amistoso contra o Equador (6 a 0, na Neo Química Arena, e 8 a 0, anteontem, no Morumbi). Desta forma, como a equipe masculina só jogará em março do ano que vem pelas Eliminatórias Sul-Americanas, encerra também o trabalho adorado do mascote da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o “Canarinho Pistola”.

    Usando máscara, para ser exemplo no combate à pandemia do novo Coronavírus, o passado mal-humorado virou foco nos últimos meses e ganhou algumas notícias em sites, canais de TV, rádios e jornais. Mas ele não está sozinho nessa relação dos mascotes. Confira abaixo cinco vezes que eles foram notados.

    Daronco da Nação

    Há duas semanas, o Flamengo mostrou seu novo mascote, que é um urubu estilizado. Também foi divulgada uma campanha na internet para a definição do nome pelos torcedores do clube – o resultado ainda não foi anunciado. O que chamou atenção dos torcedores foram os músculos trincados do animal. Ele foi apelidado de “Daronco da Nação”, devido a forma física parecida a do árbitro gaúcho Anderson Daronco. O urubu bombado viralizou.

    O dinossauro fica!

    Em outubro deste ano, ao longo do processo de corte de gastos devido a pandemia, o Arsenal demitiu um funcionário com quase 30 anos de casa conhecido como Jerry Quy. Ele era o intérprete do Gunnersaurus, adorável dinossauro que simboliza o time. A saída do mascote, que não estaria mais em jogos sem público, originou críticas de ex-jogadores e torcedores. Com isso, o Arsenal acabou voltando atrás e admitindo novamente o funcionário.

    Veja também: Jô soma polêmicas e tem “nova folga” no Corinthians

    Vai um churrasquinho?

    O mascote do América-MG, o coelho, é uma das maiores atrações da Série B do Campeonato Brasileiro. Ele viralizou em julho, ao longo de uma partida ainda do Estadual. No jogo, foi visto com uma churrasqueira e uma caixa térmica de bebidas para aproveitar o futebol sozinho nas arquibancadas do Independência. Mas o lazer foi consciente: ele utilizou máscara para se proteger da Covid-19.

    Nada de pistola

    Apesar da aparência de bravo, o Canarinho Pistola é um doce e ama música. No primeiro jogo da seleção masculina nas Eliminatórias Sul-Americanas à Copa do Mundo de 2022, em outubro, ele foi o representante da torcida do Brasil tocando bumbo nas arquibancadas da Neo Química Arena, usando máscara, claro. Canarinho também foi o primeiro a chegar ao estádio com sua caixa de som tocando pagode.

    Em relação a seleção feminina, a celebração foi para dentro dos gramados. Ele apareceu no centro de treinamentos para tocar pandeiro e ficar em clima de samba com as atletas e a técnica Pia Sundhage.

    Tem até torcedor

    No Campeonato Brasileiro, pela Série D, o América-RN derrotou o Floresta-CE no último dia 22, e uma atuação do time viralizou nas redes sociais. Erinaldo Rafael da Silva, o Baé, de 60 anos, torcedor símbolo, se caracterizou com a fantasia do clube, que é um dragão, e fez uma celebração nas arquibancadas da Arena das Dunas. Foi um ato de reconhecimento à paixão do torcedor, que é vedado de assistir os jogos devido aos protocolos de segurança contra o novo Coronavírus.

    Fonte: UOL Esporte